Popular Searches

História da Sea Shepherd

Na linha da frente pela conservação marinha desde 1977

A Sea Shepherd foi fundada em 1977 pelo Capitão Paul Watson em Vancouver, Canadá, com a missão de proteger e conservar toda a vida marinha. Incorporada no Oregon, em 1981, como Sea Shepherd Conservation Society, o movimento conta nos dias de hoje com entidades independentes em mais de 20 países e que em conjunto, trabalham em campanhas de acção directa por todo o mundo. Em 2013, a Sea Shepherd Global foi estabelecida em Amsterdão para coordenar as comunicações e logística da frota nas campanhas realizadas fora dos Estados Unidos da América.

2019

Julho, 2019

Sea Shepherd colabora com a Namíbia

A Operação Vanguard é lançada na Namíbia com os funcionários de conformidade do Ministério da Pesca e Recursos Marinhos da Namíbia (MFMR) a bordo do Ocean Warrior para impedir os arrastões-fábrica ilegais na Costa dos Esqueletos.

Julho, 2019

Patrulhando o Mediterrâneo para a Operação Siso

A Sea Shepherd retorna ao Mar Mediterrâneo com o M / Y Sam Simon para proteger as águas italianas da pesca ilegal, não declarada e não regulamentada (INN). Trabalhando em parceria com as autoridades italianas, esta campanha conhecida como Operação Siso concentra-se no uso de redes de deriva ilegais e outras artes de pesca mortais ao redor das Ilhas Eólias no Mar Tirreno do Sul, parte do Mar Mediterrâneo na costa oeste da Itália.

Julho, 2019

Operação Albacore lança a sua quarta camapanha

A Operação Albacore lança a sua quarta campanha para defender as áreas marinhas protegidas recentemente estabelecidas do Gabão, para detectar e impedir a actividade de pesca INN, ao mesmo tempo que monitoriza o cumprimento legal por operadores de pesca licenciados e para expandir as medidas existentes de monitorização, controlo e vigilância.
 

Maio, 2019

Sea Shepherd lança a Operação Guegou

A Sea Shepherd lança uma parceria com o governo de Benin para combater a pesca ilegal, não declarada e não regulamentada (INN) no Golfo da Guiné, com a tripulação da Sea Shepherd e a organização não governamental local (ONG) Eco-Benin a trabalhar juntamente com agentes da lei a bordo do navio Bob Barker da Sea Shepherd.

Abril, 2019

Sexta Campanha da Operação Siracusa na Costa Italiana

Os voluntários da Sea Shepherd voltam pelo sexto ano para proteger a Área Marinha Protegida de Plemmirio em Siracusa, Itália, em parceria com a Guarda Costeira Italiana.

Março, 2019

A Sea Shepherd ajuda a limpar quatro toneladas de detritos marinhos de uma ilha remota

Com o M / Y Bob Barker e Jairo Mora Sandoval, a Sea Shepherd e a organização cabo-verdiana Biosfera formam uma parceria para limpar quatro toneladas de resíduos de plástico de uma ilha remota em Cabo Verde, que é uma das maiores áreas de nidificação do mundo da vulnerável tartaruga-marinha-comum.

Fevereiro, 2019

O M/Y Sam Simon chega a França para a Operação Dolphin Bycatch

A campanha da Sea Shepherd na costa atlântica da França expõe o massacre de golfinhos por navios de pesca industrial no Golfo da Biscaia. O Sam Simon junta-se aos pequenos barcos da Sea Shepherd, que patrulham a costa desde 11 de Fevereiro sob a direcção da Sea Shepherd França.

2018

Dezembro, 2018

Japão anuncia o fim das actividades baleeiras na Antártica

A 26 de Dezembro de 2018, o governo japonês anuncia que deixará a IWC e que encerrará todas as actividades baleeiras na Antártica, uma vitória massiva do movimento conservacionista que foi ofuscada pelos media pela notícia de que o Japão também “retornará ” à caça comercial de baleias nas águas que cercam o Japão.

Dezembro, 2018

A Sea Shepherd aposenta o Steve Irwin

Após uma década de campanhas a defender a vida selvagem marinha, do Oceano Antártico às Ilhas Faroé, o navio da Sea Shepherd, M / Y Steve Irwin, foi aposentado em Melbourne, Austrália.

Novembro, 2018

Sea Shepherd renova parceria com a Libéria para a Operação Sola Stella 3

Numa operação conjunta com o Ministério da Defesa Nacional da Libéria para combater a pesca ilegal, não declarada e não regulamentada (INN) na República da Libéria, África Ocidental, a Sea Shepherd ajuda a Guarda Costeira da Libéria na prisão de um arrastão industrial de bandeira estrangeira apanhado a saquear águas reservadas para pesca artesanal.

2017

Maio, 2017

27 membros do Parlamento apoiam acção legal contra a Dinamarca

Com o apoio formal de 27 membros do Parlamento Europeu, a Sea Shepherd Holanda apresenta um pedido à Comissão Europeia para iniciar um processo de infração contra a Dinamarca por facilitar o massacre de baleias-piloto e outros cetáceos nas Ilhas Faroé.

Março, 2017

Revelada investigação sobre barbatanas de tubarão

A Sea Shepherd Global divulga os resultados de uma investigação de três meses verificando que grandes carregamentos de barbatana de tubarão ainda estão a chegar a Hong Kong em companhias aéreas e companhias marítimas que assumiram compromissos de proibição de transporte "sem barbatana de tubarão".

Fevereiro, 2017

Luta contra a pesca INN na Libéria

A Sea Shepherd lança a Operação Sola Stella em cooperação com o Ministério da Defesa Nacional da Libéria para patrulhar as águas da Libéria para combater a pesca ilegal, não declarada e não regulamentada (INN).

Janeiro, 2017

40 anos de acção-directa

A Sea Shepherd celebra o seu 40º aniversário com eventos em locais ao redor do mundo, incluindo Los Angeles, Sydney, Londres, Paris e Berlim.

2016

Dezembro, 2016

11ª Campanha de Defesa das Baleias na Antártica começa

É lançada a Operação Nemesis, a 11ª Campanha de Defesa das Baleias da Sea Shepherd no Oceano Antártico.

Outubro, 2016

Grande Baía Australiana salva

A campanha da Sea Shepherd Austrália, Operação Jeedara, é fundamental para impedir a BP de perfurar na Grande Baía Australiana, sendo parte da Great Australian Bight Alliance, uma coalizão de grupos ambientais locais.

Julho, 2016

Navio Ocean Warrior Revelado

A Sea Shepherd Global lança o navio de patrulha de alta velocidade customizado Ocean Warrior, um Dream Funds Project oferecido pela Dutch Postcode Lottery

Junho, 2016

Terceira campanha de combate à pesca ilegal no Mediterrâneio começa

Sea Shepherd Global anuncia o lançamento da Operação Siracusa 2016; a terceira campanha consecutiva de combate à caça furtiva e à pesca ilegal na Reserva Marinha de Plemmirio, na costa leste de Siracusa, Itália.

Junho, 2016

A Operação Bloody Fjords é lançada

É lançada a Operação Bloody Fjords, focando-se na pressão judicial, económica e dos media para pôr fim à caça às baleias-piloto nas Ilhas Faroé.

Maio, 2016

A Operação Jeedara é lançada

Como parte da Great Australian Bight Alliance, a Sea Shepherd Austrália lança a Operação Jeedara, a fim de destacar a importância da Grande Baía Australiana e reunir a pressão da comunidade para se opor aos planos de perfuração em águas profundas da BP.

Abril, 2016

Operação Albacore começa no Gabão

É lançada a Operação Albacore, em parceria com os governos do Gabão e São Tomé e Príncipe para patrulhar as Zonas Económicas Exclusivas de ambos os países, para a pesca INN.

Março, 2016

Operação Driftnet encerra actividades ilegais

É lançada a Operação Driftnet; consegue encerrar actividades de uma frota de caçadores ilegais de redes de deriva.

Fevereiro, 2016

Sea Shepherd Dive é lançada

A Sea Shepherd Global lança uma nova iniciativa, Sea Shepherd Dive, para fornecer uma rede de “suporte e denúncias” que permita que a comunidade de mergulho denuncie crimes ambientais que testemunham durante o mergulho, em qualquer lugar do mundo.

2015

Dezembro, 2015

A Operação Icefish II começa

A Operação Icefish II começa, com o Steve Irwin a partir de Williamstown, Austrália, para encerrar as actividades ilegais dos restantes elementos da frota de caça furtiva ‘Bandit 6”. Tem sucesso, culminando com o governo indonésio a afundar o Viking.

Novembro, 2015

Tribunal Federal Australiano multa frota baleeira Japonesa

Usando provas fornecidas pelo Capitão Peter Hammarstedt num processo de desacato contra a empresa baleeira Japonesa Kyodo Senpaku Kaisha Ltd (Kyodo), o Tribunal Federal Australiano emite uma multa de 1$ milhão aos baleeiros (até esta data ela permanece por pagar).

Novembro, 2015

Sea Shepherd Conservation Society anuncia a Operação Milagro II

A Sea Shepherd Conservation Society anuncia a Operação Milagro II para defender a vaquita, uma espécie de toninha em perigo crítico no Mar de Cortez (México).

Julho, 2015

Operação Mare Nostrum é lançada

A Sea Shepherd França lança a Operação Mare Nostrum para limpar plásticos do oceano e remover redes fantasmas perigosas do Mar Mediterrâneo na costa da França, Itália e Espanha.

Julho, 2015

Documentando carregamento de carne de baleia-comum na Noruega

O Sam Simon pára no porto do norte de Tromsø, na Noruega, para documentar um carregamento de carne da ameaçada baleia-comum, que está a ser enviada para o Japão. A marinha Norueguesa inspecciona o Sam Simon e permite que ele saia.

Junho, 2015

IWC rejeita programa baleeiro

O Comité Científico da Comissão Baleeira Internacional (IWC) rejeitou o programa de caça às baleias NEWREP-A do Japão, exigindo mais informações para esclarecer incertezas sobre os objectivos científicos do programa.

Junho, 2015

A Sea Shepherd Conservation Society adquire dois novos navios

A Sea Shepherd Conservation Society adquire dois navios de patrulha da Guarda Costeira dos EUA desactivados, nomeando-os Farley Mowat e Jules Verne.

Maio, 2015

Operação Siracusa 2015 é lançada

Na sequência da campanha de 2014 incrivelmente bem-sucedida, a Sea Shepherd Global lança a Operação Siracusa 2015. Liderada pela Sea Shepherd Itália, a campanha visa defender o frágil ecossistema da Reserva Marinha de Plemmirio, na costa leste de Siracusa, na Sicília, contra a pesca ilegal.

Abril, 2015

Bélgica bane redes de emalhar

A Operação Mailles Fatales, ou Warrelniet (redes fatais), apoiada pela Sea Shepherd Bélgica, bem como por Natuurpunt, Sea First Belgium e BlueShark, consegue convencer o governo belga a promulgar leis (em consonância com todos os países da UE) que proíbem a "pesca recreativa" com redes de emalhar nas praias flamengas.

Abril, 2015

Operação Sleppid Grindini começa nas Ilhas Faroé

A Operação Sleppid Grindini vê Martin Sheen, Ross McCall, Pamela Anderson e a actriz alemã Anne Menden a apoiar a campanha da Sea Shepherd e apela para que as Ilhas Faroé acabem com a caça às baleias.

Março, 2015

É lançada a Operação Milagro

A Sea Shepherd Conservation Society lança a Operação Milagro, para defender a vaquita, uma espécie de toninha em perigo crítico no Mar de Cortez (México).

Março, 2015

Operação Saimaa Seal lançada na Finlândia

A Operação Saimaa Seal é lançada para proteger a foca mais ameaçada do mundo e um dos mamíferos mais ameaçados do mundo, a foca anelada Saimaa do Lago Saimaa, Finlândia. São removidas 10 redes ilegais e quase 200 armadilhas de pesca ilegal. Nenhuma foca foi morta durante a campanha de 6 meses.

Março, 2015

Vitória no Trbunal Supremo do Reino Unido

O Supremo Tribunal do Reino Unido decide a favor da Sea Shepherd num processo movido pela Fish & Fish Limited contra a Sea Shepherd pelo corte redes para libertar atum-rabilho ameaçado de extinção na Libéria na Operação Blue Rage em 2010.

Janeiro, 2015

Dutch Postcode Lottery oferece 8.3€ milhões para navio customizado

A Sea Shepherd Global recebe 8,3€ milhões da Dutch Postcode Lottery para construir um navio-patrulha do Oceano Antártico para proteger o santuário de baleias da Antártica.

2014

Dezembro, 2014

Começa a Operação Icefish

A Operação Icefish é lançada com o Sam Simon e o Bob Barker, para combater a pesca INN da frota “Bandit 6” no Oceano Antártico e embarcar na mais longa perseguição da história marítima. 110 dias a seguir o Thunder.

Outubro, 2014

Sede aberta em Amesterdão

Abertura da sede e loja global da Sea Shepherd em Amsterdão a 17 de Outubro.

Setembro, 2014

Operação Pacuare lançada Costa Rica

A Sea Shepherd Costa Rica e a Associação Latino-americana de Tartarugas Marinhas (LAST) lançou a Operação Pacuare, uma campanha contra a caça furtiva para proteger as tartarugas marinhas na Praia de Pacuare, na província de Limón, na Costa Rica.

Junho, 2014

Pamela Anderson e Ross McCall juntam-se à Sea Shepherd nas Faroé

Nas Ilhas Faroé, a Operação Grindstop começa com Pamela Anderson e Ross McCall vindo dar apoio à campanha. Voluntários são presos ao tentar interferir com o Grind, e vários pequenos barcos são apreendidos.

Maio, 2014

Operação Siracusa lançada em Itália

A Sea Shepherd Itália lança a Operação Siracusa para proteger ouriços-do-mar e a garoupa-negra ameaçada por caçadores na Área Marinha Protegida do Parco del Plemmirio, na costa oriental de Siracusa, Sicília.

Abril, 2014

Operação Sturmmöwe começa na Alemanha

A Operação Sturmmöwe da Sea Shepherd Alemanha é lançada, com o objectivo de proteger as colónias de gaivotas-comuns de saques, especialmente durante a temporada de nidificação.

Abril, 2014

Vitória para as baleias no TIJ

O Tribunal Internacional de Justiça em Haia (TIJ) anuncia a sua decisão vinculante no caso histórico de Austrália x Japão, determinando que o programa baleeiro JARPA II do Japão na Antártica não é para fins científicos e ordenando que todas as autorizações concedidas sob JARPA II sejam revogadas.

Março, 2014

Operação Relentless é concluída

A Operação Relentless é concluída, com a Sea Shepherd localizando o Nisshin Maru em quatro ocasiões diferentes. As operações da frota baleeira foram prejudicadas pela perseguição contínua da Sea Shepherd, que incluiu expor por duas vezes os baleeiros no processo de abate de baleias minke protegidas, caçadas nas águas do Santuário de Baleias do Oceano Antártico.

Janeiro, 2014

Novo navio Jairo Mora Sandoval

A Sea Shepherd Global revela o novo navio Jairo Mora Sandoval e lança a Operação Sunu Gaal para patrulhar a Zona Económica Exclusiva do Senegal para pesca ilegal, não regulamentada e não declarada (INN).

2013

Dezembro, 2013

Navios partem para a décima campanha de defesa do Ártico

O Steve Irwin, o Sam Simon e o Bob Barker partem da Austrália para a décima campanha de defesa do Ártico, Operação Relentless.

Setembro, 2013

Lançada Operação Grindstop 2014

Em resposta ao massacre de mais de 1.600 baleias-piloto em apenas 63 dias nas Ilhas Faroé, a Sea Shepherd anuncia a Operação Grindstop 2014.

Julho, 2013

Sea Shepherd Global estabelecida na Holanda

Com sede em Amesterdão, Holanda, a Sea Shepherd Global é estabelecida, sendo nomeando o capitão Alex Cornelissen como CEO.

Junho, 2013

Pesquisa sobre derramamento da BP

A Ocean Alliance e a Sea Shepherd unem forças para a Operação Toxic Gulf a bordo do navio de pesquisa Odyssey, para colectar dados científicos sobre o catastrófico derramamento de petróleo ​da BP no Golfo do México.

Junho, 2013

Vitória dupla em tribunal para a Sea Shepherd França

Duas vitórias em tribunal são concedidas na França: quatro caçadores ilegais espanhóis são condenados a pagar à Sea Shepherd França 5.000€ cada, após serem considerados culpados por caçar percebes em águas territoriais francesas. Em parceria com L'Aspas e Longitude 181, a Sea Shepherd também vence um processo judicial contra o prefeito de La Reunion Island para revogar um estatuto que usava dinheiro dos contribuintes para encorajar a morte de tubarões numa Reserva Marinha Nacional.

Maio, 2013

Operação Reef Defense no Hawaii

A Sea Shepherd lança a Operação Reef Defense no Hawaii.

Maio, 2013

Décima campanha de defesa das baleias na Antártica anunciada

A Sea Shepherd Austrália anuncia a Operação Relentless, a décima campanha anti-caça à baleia na Antártica, que acontecerá no Verão Austral 2013-2014.

Abril, 2013

James Price Point salvo de perfuração

Depois de uma enorme pressão pública e do trabalho de Environs Kimberley, Save the Kimberley, a Wilderness Society e a Operação Kimberley Miinimbi da Sea Shepherd Austrália, a Woodside Petroleum rejeita planos para o seu controverso empreendimento Browse de 45$ biliões em James Price Point, Austrália.

Março, 2013

Operação Zero Tolerance é um sucesso

A Operação Zero Tolerance chega ao fim como a campanha de maior sucesso até agora, com os baleeiros Japoneses a voltar para casa com a menor matança de todos os tempos.

Fevereiro, 2013

Pedido no Supremo Tribunal contra o ICR

A Sea Shepherd Conservation Society dá entrada no Supremo Tribunal contra o Instituto de Pesquisa de Cetáceos (ICR). O pedido é em resposta à injunção do 9º Distrito que limita preliminarmente a Sea Shepherd nos EUA de navegar "perigosamente" e "atacar fisicamente" ou chegar a 500 jardas dos navios baleeiros do ICR.

Fevereiro, 2013

Bob Barker abalroado pelo Nisshin Maru

Durante um confronto no oceano do sul, onde a Sea Shepherd estava a bloquear uma operação de reabastecimento do navio-fábrica japonês Nisshin Maru, dois navios da Sea Shepherd são abalroados, causando danos significativos ao Bob Barker. A colisão entre o Bob Barker, o Nisshin Maru de 8.000 toneladas e o petroleiro Sun Laurel resultou numa perda completa de potência e um pedido de socorro do capitão do Bob Barker, Peter Hammarstedt .

2012

Dezembro, 2012

Dinamarca desafiada na Comissão Europeia

A Sea Shepherd desafia a Dinamarca na Comissão Europeia em relação ao abate de baleias-piloto nas Ilhas Faroé, citando a Convenção de Berna, a Convenção de Bonn e o Acordo sobre a Conservação de Pequenos Cetáceos do Báltico e do Mar do Norte.

Novembro, 2012

É lançada a nona campanha de defesa das baleias da Antártica

A Sea Shepherd inicia a Operação Zero Tolerance, a nona campanha de defesa das baleias do Oceano Antártico apresentando a sua maior frota até aqui: quatro navios, um helicóptero, oito pequenos RHIBs, três drones e mais de cem voluntários internacionais.

Outubro, 2012

Sea Shepherd abre base de operações na Austrália

A Sea Shepherd anuncia a abertura da Base de Operações Sul em Williamstown, Austrália.

Outubro, 2012

O Capitão Watson recebe o Prémio Jules Verne

O Capitão Paul Watson torna-se apenas a segunda pessoa, depois do Capitão Jacques Cousteau, a ser homenageado com o Prémio Jules Verne, dedicado a ambientalistas e aventureiros.

Outubro, 2012

ICR confirma que a Sea Shepherd causou 20.5$ milhões em perdas

Num artigo do New York Times, o Institute of Cetacean Research confirma que a Sea Shepherd Conservation Society custou aos baleeiros japoneses ilegais 20,5$  milhões em perdas na temporada de caça às baleias de 2010-2011 no Santuário de Baleias do Oceano Antártico.

Setembro, 2012

A Sea Shepherd volta ao Taiji

A Operação Infinite Patience 2012-2013 começa em Taiji, Japão, com a chegada dos primeiros voluntários da Sea Shepherd.

Setembro, 2012

Defesa de tubarões nas Ilhas Phoenix

A Sea Shepherd faz parceria com a nação de Kiribati para patrulhar as Ilhas Phoenix para proteger a população de tubarões do Pacífico Sul.

Agosto, 2012

Defesa de focas em Cape Cross

Começa a Operação Desert Seal II, a campanha secreta da Sea Shepherd para acabar com o massacre de focas na Reserva de focas de Cape Cross na Namíbia.

Agosto, 2012

Alerta vermelho da Interpol

Um alerta vermelho da Interpol é emitido para o Capitão Watson em resposta ao mandado politicamente motivado da Costa Rica para sua prisão.

Julho, 2012

O Capitão Watson escapa sem fiança

O Capitão Watson deixa a Alemanha, sem fiança, depois de saber que o Japão está está a tentar extraditá-lo.

Julho, 2012

Sea Shepherd Austrália vs. Combustíveis Fósseis

Bob Brown e a Sea Shepherd Austrália lançam a Operação Kimberley Miinimbi para se opor à construção de um grande centro de gás no maior viveiro de baleias jubarte do mundo.

Julho, 2012

Defesa dos tubarões no Pacífico Sul

Começa a Operação Requiem, a campanha da Sea Shepherd para defender os tubarões no Pacífico Sul.

Junho, 2012

Vitória em tribunal pelos atuns-rabilho

A Sea Shepherd do Reino Unido vence o processo movido pela Fish & Fish em relação à liberação pela Sea Shepherd de 800 atuns-rabilho capturados ilegalmente no Mediterrâneo.

Junho, 2012

Sam Simon compra navio japonês para a Sea Shepherd

O co-fundador dos Simpsons, Sam Simon, financia a compra do Seifu Maru, um antigo navio do governo japonês usado para colectar dados para a frota baleeira do Pacífico Norte. A Sea Shepherd renomeou o navio de Sam Simon em sua homenagem.

Maio, 2012

Capitão Watson preso na Alemanha

O Capitão Watson é preso em Frankfurt, Alemanha, sob um mandado emitido pela Costa Rica. O processo de extradição começa em Frankfurt.

Março, 2012

Importação de golfinhos banida na Suíça

A Sea Shepherd Suíça é fundamental para proibir a importação de golfinhos para o país.

Março, 2012

768 baleias salvas na Antártica

A Operação Divine Wind termina com sucesso, com a Sea Shepherd a salvar a vida de 768 baleias no Santuário de Baleias do Oceano Antártico.

Fevereiro, 2012

Hong Kong Airlines bane transporte de golfinhos

A Sea Shepherd visita a sede corporativa da Hong Kong Airlines para confrontar a companhia aérea pelo transporte de golfinhos vivos para instalações em cativeiro. Pouco depois, a companhia aérea proibiu o transporte de animais selvagens.

Fevereiro, 2012

Tribunal distrital recusa injunção

O juíz do Tribunal Distrital dos EUA nega o pedido do Institute of Cetacean Research de uma injunção ​temporária contra as actividades da Sea Shepherd no Oceano Antártico.

Janeiro, 2012

Injunção do Tribunal do Nono Circuito dos Estados Unidos

Uma injunção é emitida pelo Tribunal do Nono Circuito dos Estados Unidos que proíbe a Sea Shepherd Conservation Society, Paul Watson e todos os seus funcionários de se aproximarem a 500 jardas dos navios Japoneses de caça furtiva. Para continuar a Operação Zero Tolerance, o Capitão Paul Watson deixa o cargo da Sea Shepherd EUA e Austrália, bem como a sua posição como capitão do Steve Irwin. O capitão Siddharth Chakravarty assume o comando do Steve Irwin, e o director administrativo da Sea Shepherd Austrália Jeff Hansen e o ex-senador australiano do Partido Verde, Bob Brown, assumem a liderança da Operação Zero Tolerance.

2011

Dezembro, 2011

Oitava campanha de defesa das baleias na Antártica começa

A Operação Divine Wind, a oitava campanha de defesa das baleias na Antártica da Sea Shepherd, é lançada. O Brigitte Bardot é danificado por uma onda violenta no Oceano Antártico e deve ser escoltado de volta à Austrália para reparos. A Sea Shepherd recebe aprovação da Austrália para usar drones para procurar a frota baleeira no Oceano Antártico.

Novembro, 2011

Salvando tubarões na Austrália

A Shepherd Austrália é fundamental para aumentar a consciencialização para prevenir um proposto abate de tubarões na Austrália Ocidental.

Setembro, 2011

Segundo ano em Taiji

A Operação Infinite Patience começa a segunda temporada com voluntários da Sea Shepherd a chegar a Taiji.

Julho, 2011

Steve Irwin detido

O Steve Irwin é detido na Ilha Shetland depois da empresa de pesca maltesa Fish & Fish abrir um processo contra a Sea Shepherd num tribunal civil por supostos danos a equipamentos de pesca causados durante a Operação Blue Rage. O Steve Irwin é libertado em Agosto, depois de apoiantes da Sea Shepherd arrecadarem 735.000$ para libertar o navio.

Julho, 2011

Operação Desert Seal começa

A Operação Desert Seal começa na Namíbia. As tripulações tentam documentar e expor a maior matança de mamíferos marinhos do mundo, os lobos-marinhos-do-cabo. Membros da tripulação são roubados, assediados e perseguidos.

Julho, 2011

Defesa das baleias-piloto nas Faroé

A campanha de defesa das baleias-piloto nas Ilhas Faroé, Operação Ferocious Isles, é lançada e decorre até Agosto, sem baleias-piloto abatidas nas Ilhas Faroé enquanto a Sea Shepherd está presente.

Maio, 2011

Defesa do Atum no Mediterrâneo

A Operação Blue Rage 2011 começa no Mar Mediterrâneo.

Maio, 2011

Gojira torna-se Brigitte Bardot

Gojira é renomeado Brigitte Bardot, em homenagem à activista e apoiante da Sea Shepherd.

Fevereiro, 2011

Outro sucesso na Antártica

Depois de ser perseguida pelo Bob Barker por nove dias, a frota baleeira japonesa foge do Oceano Antártico; A Operação No Compromise é declarada uma vitória.

Fevereiro, 2011

A Sea Shepherd em Times Square

A primeira campanha publicitária outdoor da Sea Shepherd é lançada na Times Square em Nova Iorque. Uma grande imagem representando uma baleia e um arpão a explodir nas costas de uma baleia são apresentados na tela da CBS.

Janeiro, 2011

WIkileaks revela que a Sea Shepherd é uma "ameaça"

Através de um documento confidencial do Departamento de Estado dos EUA citando a Agência de Pesca Japonesa, a Wikileaks revela que a Sea Shepherd é considerada uma ameaça séria pela frota baleeira ilegal japonesa.

2010

Dezembro, 2010

Sétima campanha de defesa das baleias na Antártica

Os navios da Sea Shepherd partem para a Operação No Compromise, a sétima campanha de defesa das baleias na Antártica. O Bob Barker confisca equipamentos de caça ilegal nas águas do Oceano Antártico, incluindo centenas de metros de linhas, e a Sea Shepherd intercepta a frota baleeira japonesa ilegal antes que uma única baleia seja morta.

Novembro, 2010

Novo navio Gojira anunciado

A Sea Shepherd dá as boas-vindas à embarcação Gojira à frota.

Setembro, 2010

Primeiros Cove Guardians no Taiji

Os voluntários da Sea Shepherd chegam ao Taiji, no Japão, para se tornarem os primeiros Cove Guardians e começar a primeira temporada da Operação Infinite Patience.

Julho, 2010

Trabalho infiltrado nas Faroé

A Sea Shepherd envia um agente infiltrado às Ilhas Faroé para documentar a cruel matança de baleias-piloto conhecida como Grindadráp.

Julho, 2010

A Sea Shepherd dá apoio no desastre do Deepwater Horizon

A Operação Gulf Rescue começa no Golfo do México em resposta ao derramamento de petróleo catastrófico da BP.

Junho, 2010

O Steve Irwin procura caçadores ilegais de atum-rabilho

O Steve Irwin patrulha as águas de Malta e arredores em busca de caçadores ilegais de atum-rabilho. A Operação Blue Rage, a primeira campanha da Sea Shepherd para defender o atum-rabilho, ameaçado de extinção, ocorre no Mediterrâneo.

Janeiro, 2010

Documentário sobre massacre de golfinhos ganha óscar

The Cove, um documentário destacando o massacre de golfinhos em Taiji e mostrando o trabalho da Sea Shepherd, ganha o Óscar de Melhor Documentário em 2010.

Janeiro, 2010

Campanha na Antártica salva 528 baleias

O Steve Irwin, o Bob Barker e o Ady Gil navegam até o Santuário de Baleias do Oceano Antártico para a Operação Waltzing Matilda para intervir contra actividades baleeiras ilegais. O Shonan Maru 2 empurra e afunda deliberadamente o Ady Gil. O capitão Peter Bethune embarca no Shonan Maru 2 para entregar uma fatura pela perda de seu barco naufragado, o que resulta no seu transporte para uma prisão japonesa. A Operação Waltzing Matilda é um sucesso, salvando a vida de 528 baleias e custando à frota baleeira japonesa dezenas de milhões de dólares em perdas.

2009

Dezembro, 2009

Começa a sexta campanha de defesa das baleias na Antártica

O Steve Irwin e o Ady Gil partem para a Antártica na Operação Waltzing Matilda em busca da frota baleeira japonesa, enquanto o recém-adquirido Bob Barker parte secretamente das Ilhas Maurício para localizar e surpreender a frota baleeira.

Outubro, 2009

Bob Barker compra antigo navio baleeiro norueguês

Graças a uma contribuição de 5.000.000$ do ícone e personalidade da televisão americana Bob Barker, a Sea Shepherd foi capaz de comprar e reformar um antigo navio baleeiro norueguês, que se chamaria Bob Barker.

Outubro, 2009

Novo navio revelado

A Sea Shepherd apresenta o seu mais novo navio de defesa do oceano: o Ady Gil, um trimarã que detém o recorde mundial de circum-navegação global e que tem o nome do benfeitor que ajudou a adquirir o navio.

Setembro, 2009

Tripulação multada por "crime" ao testemunhar o massacre de focas

O capitão Alex Cornelissen e o primeiro oficial Peter Hammarstedt foram multados em 11.607$ e proibidos de entrar no Canadá pelo seu "crime" de 2008 de testemunhar uma caça às focas a menos de 926 metros.

Agosto, 2009

Prémio 4-Star Charity

A Charity Navigator concede à Sea Shepherd a cobiçada classificação 4-star charity por uma gestão fiscal sólida.

Junho, 2009

Operação Waltzing Matilda é anunciada

A 6ª campanha de protecção às baleias da Sea Shepherd, Operação Waltzing Matilda, é anunciada.

Junho, 2009

Acusações contra o Capitão Watson retiras

Todas as acusações contra o Capitão Watson por supostamente operar um navio registado no Canadá sem uma licença comercial foram retiradas num tribunal canadense. O advogado de defesa Terry La Liberte conseguiu provar que o Capitão Watson cumpre a lei e, além disso, mantém um registo imaculado de nunca ter tido uma única condenação por crime doloso ou uma condenação por um delito marítimo.

Maio, 2009

Tubarões-baleia salvos de Resort

O Resorts World em Sentosa, Singapura, optou por não instalar uma grande exposição de aquário projectada para exibir tubarões-baleia em cativeiro. Esta vitória deve-se em parte à Sea Shepherd e outros grupos conservacionistas que se opuseram activamente à construção.

2008

Dezembro, 2008

Operação Musashi no Oceano Antártico

A Operação Musashi é lançada para proteger as baleias no Santuário de Baleias do Oceano Antártico, intervém contra a frota baleeira ilegal japonesa e salva a vida de 305 baleias.

Outubro, 2008

Base permanente estabelecida nas Galápagos

A Sea Shepherd Galápagos ajuda a estabelecer uma base flutuante permanente nas Ilhas Darwin e Wolf, para se proteger continuamente contra caçadores ilegais.

Setembro, 2008

Estreia de "At The Edge of the World"

At the Edge of the World, de Tim Gorski e Dan e Craig Stone, estreia no Festival de Cinema de Toronto. Este filme documenta a campanha anti-caça às baleias do Oceano Antártico de 2006/2007 da Sea Shepherd, Operação Leviathan.

Junho, 2008

Operação Musashi Anunciada na Comissão Baleeira Internacional

O Capitão Watson participa da reunião da Comissão Baleeira Internacional em Santiago, Chile, junto com o ex-Ministro australiano do Meio Ambiente, membro do Conselho Consultivo da Sea Shepherd, Ian Campbell. A Sea Shepherd anuncia a Operação Musashi, o retorno ao Oceano Antártico para mais uma vez intervir contra a caça ilegal de baleias japonesa em Dezembro de 2008.

Abril, 2008

Vitória em tribunal no Brasil

A Sea Shepherd Brasil vence uma batalha legal contra operações de pesca ilegal no Brasil. O tribunal multa as empresas com base em evidências colectadas pela equipa da Sea Shepherd.

Abril, 2008

Tripulação Presa no Canadá por Observar Massacre de Focas

O Farley Mowat parte das Bermudas para os blocos de gelo do Golfo de St. Lawrence para documentar as operações ilegais de caça às focas. Embora o navio nunca entre em águas territoriais canadenses, o governo canadense envia uma equipa da SWAT para abordar e apreender o navio e confiscar todos os vídeos e fotos tirados do massacre das focas. O capitão holandês Alex Cornelissen e o primeiro oficial sueco Peter Hammarstedt são presos e acusados de se aproximarem demasiado de uma caça às focas. Eles são libertados sob fiança de $10.000 que o capitão Watson paga em moedas canadenses de $2. O navio é mantido sob guarda armada 24 horas por dia até ao julgamento, que é agendado para Abril de 2009. A viagem oportuna concentra a atenção internacional no massacre de focas canadenses e contribui para que o Parlamento Europeu adopte uma proposta de banir todos os produtos derivados de focas.

Março, 2008

Capitão Watson: Guerreiro da Vida Selvagem do Ano

O Capitão Paul Watson recebe o Steve Irwin Wildlife Warrior of the Year Award do Terri Irwin.

Março, 2008

A Sea Shepherd estabelece uma Unidade K-9

A Sea Shepherd organiza uma unidade K-9 em parceria com a Polícia Nacional do Equador para detectar barbatanas de tubarão e pepinos do mar contrabandeados em portos e aeroportos.

Fevereiro, 2008

A tripulação do Steve Irwin descobre caçadores ilegais de merluza-negra na Antástica

A tripulação do Steve Irwin descobre, documenta e relata as actividades de caçadores ilegais de merluza-negra na costa da Antártica, dentro dos limites territoriais da Antártica Australiana.

Janeiro, 2008

Tripulação Presa, mas Operação Migaloo um Sucesso

O Steve Irwin viaja duas vezes para a costa da Antártica para interromper as actividades baleeiras ilegais japonesas no Santuário de Baleias do Oceano Antártico. Dois tripulantes da Sea Shepherd embarcam num barco arpoador japonês, são detidos por três dias e depois libertados. A Guarda Costeira japonesa lança granadas de concussão e tiros contra a tripulação da Sea Shepherd. A Operação Migaloo termina com mais de 500 baleias salvas e uma grande perda de lucros para a frota japonesa.

2007

Dezembro, 2007

Robert Hunter Renomeado Steve Irwin, Parte para a Antártica

O Robert Hunter é renomeado Steve Irwin, e parte de Melbourne, Austrália, na Operação Migaloo, para interceptar e obstruir a caça ilegal de baleias japonesa no Santuário de Baleias do Oceano Antártico.

Junho, 2007

45,000 Barbatanas de Tubarão Apreendidas Pela Sea Shepherd

O Director da Sea Shepherd nas Galápagos, Sean O'Hearn, lidera incursões no continente do Equador durante as quais são apreendidas 45.000 barbatanas de tubarão e 92.000 pepinos-do-mar. São presos mais de uma dúzia de caçadores ilegais, sendo expostas as operações da Máfia Equatoriana.

Fevereiro, 2007

Terceira Campanha de Defesa das Baleias

O Robert Hunter junta-se ao Farley Mowat no Mar de Ross para a terceira Campanha de Defesa das Baleias, localizando a frota baleeira japonesa em Fevereiro. A Sea Shepherd persegue e interrompe as actividades do Nisshin Maru, encerrando as suas operações. Dois tripulantes da Sea Shepherd são temporariamente perdidos quando uma forte neblina se aproxima, mas são localizados e resgatados 8 horas depois. O navio japonês Kaiko Maru abalroa o Robert Hunter duas vezes, causando danos ao casco.

2006

Outubro, 2006

Compra do Robert Hunter

A Sea Shepherd adquire um navio-patrulha escocê e renomeia-o Robert Hunter em homenagem ao homem que era jornalista, co-fundador da Greenpeace, amigo do Capitão Watson e membro do Conselho Consultivo da Sea Shepherd.

Janeiro, 2006

Abalroando o Oriental Bluebird

O Farley Mowat intercepta e abalroa o navio de abastecimento da frota baleeira, Oriental Bluebird. O navio de abastecimento é ordenado a sair do Santuário de Baleias Antárticas e cumpre. Posteriormente, o Farley Mowat é detido pelas autoridades sul-africanas devido à pressão do governo Japonês.

2005

Dezembro, 2005

Primeiro Sucesso na Campanha de Defesa de Baleias da Antártica

O Farley Mowat deixa Melbourne, Austrália, a caminho do Oceano Antártico para procurar a frota japonesa para a segunda Campanha de Defesa das Baleias. Em 25 de Dezembro, o Farley Mowat intercepta e persegue o navio japonês Nisshin Maru por três mil milhas ao longo da costa antártica. O Nisshin Maru interrompe as actividades baleeiras e foge.

Agosto, 2005

A Sea Shepherd abre escritório permanente nas Galápagos

A Sea Shepherd abre um escritório permanente nas Galápagos e estende o acordo com o Parque Nacional de Galápagos (PNG) para ajudar no patrulhamento da Reserva Marinha do Parque Nacional de Galápagos.

Fevereiro, 2005

Violência Contra a Sea Shepherd no Golfo de St Lawrence

O Farley Mowat entra no Golfo de St. Lawrence para intervir contra o massacre de crias de focas. Um membro da tripulação da Sea Shepherd é violentamente atacado no gelo. Onze tripulantes são presos e acusados de documentar o assassinato de focas. A polícia recusa-se a apresentar queixa contra os caçadores de focas por agressão.

2004

Janeiro, 2004

O Farley Mowat Patrulha as Galápagos

O Farley Mowat patrulha o Parque Nacional das Galápagos, interceptando e ajudando na prisão de um palangreiro costa-riquenho, uma rede de emalhar equatoriana e um cercador de atum de propriedade equatoriana e americana.

2003

Outubro, 2003

A Sea Shepherd Expõe a caça de golfinhos em Taiji

A tripulação da Sea Shepherd documenta a captura ilegal e o abate de golfinhos nas Ilhas Salomão e em Taiji, no Japão, chamando a atenção dos media internacionais para o massacre. Allison Lance e Alex Cornelissen são presos após mergulharem na baía de Taiji, a fim de cortar as redes para libertar 15 golfinhos que aguardavam o abate. Ambos passaram três semanas na prisão antes de serem libertados.

2002

Dezembro, 2002

Primeira Campanha de Defesa de Baleias

O Farley Mowat viaja para a Antártica Numa tentativa mal sucedida em localizar a frota baleeira japonesa na primeira Campanha de Defesa de Baleias do Oceano Antártico da Sea Shepherd.

Abril, 2002

Ocean Warrior torna-se Farley Mowat

A Sea Shepherd muda o nome do Ocean Warrior para Farley Mowat em homenagem ao escritor canadense e presidente internacional da Sea Shepherd, e regista novamente o navio no Canadá.

Abril, 2002

A Costa Rica Ordena a Prisão do Capitão Watson

O Ocean Warrior captura o palangreiro costa-riquenho Varadero I na costa da Guatemala. Autoridades guatemaltecas dão ao capitão Watson permissão para escoltar o caçador furtivo até San Jose, Guatemala. Quando o Varadero I tenta fugir, o Ocean Warrior usa mangueiras de incêndio e o Varadero I acidentalmente atinge o casco do Ocean Warrior, sofrendo alguns danos . Na manhã seguinte, o Capitão do Porto de San Jose informa o Capitão Watson que pretende prender o Ocean Warrior por usar força contra o Varadero I. O Capitão Watson liberta o Varadero I e segue para a Costa Rica, onde é acusado de tentativa de homicídio e destruição de propriedade com base em acusações da tripulação do Varadero I. O Capitão Watson apresenta evidências de vídeo contestando as reivindicações, as acusações são retiradas e o Capitão Watson é libertado. Dez dias depois, outro promotor e outro juiz reabrem o caso após pressão da indústria pesqueira da Costa Rica. Não há acusações por causa de evidências insuficientes, mas o tribunal ordena que o Capitão Watson seja preso e mantido indefinidamente sem fiança até que uma determinação sobre as acusações possa ser feita. O capitão Watson responde que não cumprirá nenhuma ordem de prisão a menos que haja acusações oficiais, evita que a polícia volte para o seu navio e sai das águas da Costa Rica.

Março, 2002

A Sea Shepherd recebe autorização para patrulhar a Costa Rica

A Sea Shepherd assina um acordo com o governo da Costa Rica e a Fundação Ilha Cocos, dando à Sea Shepherd autoridade para intervir em todas as operações de pesca ilegal em torno da Ilha Cocos.

Janeiro, 2002

O Seal Wars é publicado

O Paul Watson publica Seal Wars, Twenty-Five Years on the Front Lines with the Harp Seals.

2001

Agosto, 2001

O Ocean Warrior apreende palangreiro

Com os guardas do Parque Nacional Cocos a bordo, o Ocean Warrior apreende o grande palangreiro equatoriano San Jose, capturado a pescar ilegalmente na Ilha de Cocos, na Costa Rica, e confisca 48 quilómetros de espinhel e a sua captura ilegal de tubarões, tartarugas, peixes-vela e golfinhos. Considerado culpado, o San Jose é confiscado pelos tribunais.

Agosto, 2001

Expondo corrupção Equatoriana

A Sea Shepherd obtém evidências de corrupção na Marinha do Equador e divulga ao público. Como resultado, quando o Ocean Warrior pára  nas Galápagos para reabastecer o Sirenian, a Marinha do Equador coloca o Ocean Warrior sob guarda e ordena que o navio saia das Galápagos.

Agosto, 2001

O Sirenian apreende palangreiros nas Galápagos

O navio-patrulha da Sea Shepherd, Sirenian, apreende quatro palangreiros e dois barcos comerciais de barbatanas de tubarão capturados dentro da Reserva Marinha de Galápagos e fecha um campo de caça furtiva de pepino-do-mar.

Julho, 2001

Expondo a caça à baleia em Santa Lúcia

Durante a reunião anual da Comissão Baleeira Internacional (IWC), o Ocean Warrior navega para Santa Lúcia, nas Índias Ocidentais, e filma um pescador trazendo uma baleia-piloto morta no mesmo dia em que o governo nega que Santa Lúcia caça baleias. A Sea Shepherd coordena uma campanha contra as nações caribenhas que votam com o Japão na CBI em troca de "ajuda à pesca". Como resultado, Santa Lúcia recebe mais de 400 cancelamentos de reservas de resort.

Janeiro, 2001

O Sirenian assiste em limpeza de derramamento de petróleo

O petroleiro Jessica encalha na Ilha de San Cristóbal nas Galápagos, derramando 160.000 galões de diesel e 80.000 galões de combustível de bunker. O Sirenian é o primeiro navio a chegar ao local e passa três semanas a auxiliar o Parque Nacional das Galápagos e uma equipa especial da Guarda Costeira dos EUA na limpeza de derramamento de petróleo e resgate da vida selvagem.

2000

Julho, 2000

O Ocean Warrior nas Ilhas Faroé

O Ocean Warrior navega para as Ilhas Faroé para intervir contra a matança anual de baleias-piloto. Mais uma vez, o tema da caça é levado às primeiras páginas dos meios de comunicação europeus. A Sea Shepherd exerce pressão económica contra as empresas que ainda compram peixe e frutos do mar das Ilhas Faroé, e mais de 20.000 revendedores europeus rescindem os seus contratos de pesca com as Ilhas Faroé a pedido da Sea Shepherd.

Abril, 2000

Acordo Anti-caça furtiva no Brasil

A Sea Shepherd Brasil assina um acordo com o Estado do Rio Grande do Sul no Brasil para conduzir patrulhas anti-caça furtiva ao longo da costa sul do país.

Março, 2000

O Sirenian Patrulha para o Equador

A Sea Shepherd assina um acordo de 5 anos com o Serviço Nacional de Parques do Equador e a Marinha para fornecer o Sirenian e sua tripulação para patrulhas de conservação conjuntas. Em cooperação com o Centro de Pesquisa Darwin, o acordo visa reprimir a pesca ilegal e a remoção de barbatanas de tubarão na reserva marinha do Parque Nacional das Galápagos, com 50.000 acres.

Fevereiro, 2000

Belize: "Sem Suborno, Sem Barco."

O Sea Shepherd III é retirado do registo de Belize depois do Capitão Watson se recusar a pagar um suborno aos oficiais do Belize. O navio foi registado novamente nas Ilhas Cayman e renomeado Ocean Warrior.

Janeiro, 2000

Resgate em derramamento de petróleo no Brasil

Um oleoduto da Petrobras Oil Company rompe-se perto do Rio de Janeiro e derrama mais de 300.000 galões de petróleo bruto na baía e nos pântanos. Os voluntários da Sea Shepherd coordenam os esforços de resgate da vida selvagem. O governo do estado do Rio Grande do Sul contrata a Sea Shepherd Brasil para desenvolver um plano de resgate de vida selvagem oleada.

1999

Dezembro, 1999

Resgate em derramamento de petróleo na Europa

O petroleiro Erika quebra-se em mares agitados na costa da França, e o petroleiro russo Volgoneft 247 quebra-se no estreito de Bósforo, na Turquia. Voluntários da Sea Shepherd viajam para ambos os países e montam equipas de voluntários internacionais para resgatar e transportar aves marinhas oleadas do derramamento do Erika para centros de cuidados. Programas de treino cooperativo são estabelecidos com o Pieterburen Wildlife Rescue Centre na Holanda. O governo turco concorda em trabalhar com a Sea Shepherd em questões de resposta a desastres de derramamento de petróleo.

Maio, 1999

Sirenian Apreendido

A Sea Shepherd retorna a Neah Bay, Washington, numa tentativa mal sucedida de impedir o Makah de matar as baleias cinzentas. Vários activistas são presos e o Sirenian é apreendido pela Guarda Costeira dos EUA.

Abril, 1999

Aldi rescinde contratos com as Ilhas Faroé

Na Alemanha, a Sea Shepherd convence com sucesso a Aldi, um dos maiores distribuidores de alimentos da Europa, a rescindir os seus contratos com as Ilhas Faroé até que eles concordem em interromper o abate de baleias-piloto.

Março, 1999

O Capitão Watson recebe o Earth Trustee Environmental Award

O Capitão Watson recebe o Earth Trustee Environmental Award numa cerimónia das Nações Unidas em celebração do Dia da Terra.

1998

Setembro, 1998

Vitória para as baleias contra caça "cultural"

A pedido das indústrias baleeiras comerciais da Noruega e do Japão, a tribo indígena Makah reivindica o direito de retomar a caça às baleias garantido no seu tratado de 1855 com os EUA, que é uma excepção à moratória mundial sobre a caça às baleias para fins puramente "culturais" . Como isso daria a cada nação do planeta uma nova categoria para a caça às baleias, a Sea Shepherd envia dois navios para Neah Bay, Washington, onde se juntam na água aos cidadãos locais e outros activistas anti-caça. Apesar da violência da multidão, prisões e assédio, a coalizão de activistas protege as baleias locais e consegue chamar a atenção dos media o suficiente para fazer o Makah recuar sem caçar uma única baleia.

Março, 1998

O Capitão Watson Recebe o prémio Lifetime Achievement

O Capitão Watson recebe o Genesis Award for Lifetime Achievement em Los Angeles. O prémio é entregue por Pierce Brosnan e Martin Sheen.

Março, 1998

O Sea Shepherd III Protege Focas no Canadá

Com a mortalidade da indústria canadense de caça às focas a atingir os 500.000, o Sea Shepherd III faz a viagem para o Golfo de St. Lawrence, como o primeiro navio de conservação no abate anual de animais selvagens do Canadá desde 1983. A visita atrai jornalistas internacionais para a caça e protege os caçadores fora do viveiro principal de focas.

1997

Outubro, 1997

Oposição a práticas baleeiras indígenas

A Sea Shepherd participa da Comissão Baleeira Internacional no Mónaco com o congressista americano Jack Metcalf (R-WA) e uma delegação de anciãos tribais Makah, para dar voz à forte oposição ao pedido de permissão do Makah para começar a caçar baleias cinzentas.

Setembro, 1997

O Sea Shepherd III pára pesca de redes de deriva

O Sea Shepherd III faz sua viagem inaugural ao Mediterrâneo para intervir contra a prática de redes de deriva ilegais. Os navios da Itália, os principais infractores, anunciam imediatamente que vão interromper a prática.

Março, 1997

Capitão Watson Preso for Afundar Navio Baleeiro

O capitão Watson é preso por um mandado da Interpol norueguesa por uma condenação à revelia pelo naufrágio do baleeiro ilegal Nybraena em 1992. Ele é detido por um dia e libertado pelo promotor de Bremen, que determina que o mandado contém informações contraditórias. Preocupado com o facto de o mandado norueguês impedir a sua viagem à Europa, o capitão Watson entrega-se para ser preso na Holanda a 2 de Abril. Apoiantes protestam nas embaixadas norueguesas e holandesas em todo o mundo. Após uma audiência, o pedido de extradição da Noruega foi negado e o capitão Watson foi libertado após passar 90 dias na prisão.

1996

Janeiro, 1996

Pêlo de foca, Sea Shepherd III

A Sea Shepherd retorna ao Golfo de St. Lawrence um ano após o ataque dos caçadores de focas, com uma empresa de roupas de cama interessada em comercializar pêlo de foca bebé. Eles colectam pêlo sem incidentes. O Canadá mata 250.000 focas.

A Sea Shepherd adquire uma traineira de fabricação norueguesa registada na Grã-Bretanha, rebatizando-a como Sea Shepherd III e os trabalhos de reparo e reforma começam em Edimburgo, Escócia. Em Dezembro, o Ministério de Pesca britânico contrata a equipa da Sea Shepherd para proteger sos eus barcos de patrulha durante as férias.

1995

Outubro, 1995

Prémio do Capitão Watson Recusado

Paul Watson é votado para receber o Prémio Eugene Rogers de 1995 pela Associação das Nações Unidas do Canadá pelo seu trabalho em defesa do salmão na Colúmbia Britânica. O prémio foi negado depois de a Western Canada Wilderness Society ter protestado.

Agosto, 1995

Irlanda bane Redes de Deriva

O governo da Irlanda bane redes de deriva após lobby por representantes da Sea Shepherd.

Agosto, 1995

Protegendo as baleias cinzentas da Califórnia da morte por "valores culturais"

A tribo indígena Makah de Neah Bay, Washington, reivindica o direito de caçar as baleias cinzentas da Califórnia sob um tratado de 1855 com os EUA, que eles desejam reviver em nome de "valores culturais e espirituais". Mais de uma dúzia de tribos ao longo da costa da Colúmbia Britânica afirmam que pressionariam por uma extensão dos seus direitos de pesca para incluir baleias, caso a petição do Makah fosse aprovada. Graças às duas visitas do Sirenian em Neah Bay, à presença contínua da Sea Shepherd, à campanha nos media e ao trabalho com o congressista dos EUA Jack Metcalf (R-WA), a administração dos EUA retira o apoio à petição formal do Makah antes da reunião da Comissão Baleeira Internacional na Escócia .

Março, 1995

Motim de caçadores de focas em St Lawrence

O actor / activista Martin Sheen concorda em apoiar os esforços da Sea Shepherd na conservação das focas e acompanha o Capitão Watson e uma equipa ao Golfo de St. Lawrence. Antes que eles pudessem seguir para o local, uma multidão de caçadores de focas furiosos invade o seu hotel nas ilhas Magdalen, arromba a porta do quarto do capitão Watson e agride-o. A polícia intervém apenas para expulsar à força o capitão Watson de Magdalens. A campanha recebe cobertura dos media internacionais.

Janeiro, 1995

Leões Marinhos de São Francisco Salvos

A Sea Shepherd negoceia um acordo com a cidade de São Francisco, prevenindo o abate de leões-marinhos-da-califórnia.

1994

Julho, 1994

Whales Forever Atacado Pela Marinha Norueguesa

O Whales Forever enfrenta operações de caça ilegal de baleias na costa norte da Noruega, provocando ampla cobertura dos media na Europa. O navio da Marinha Norueguesa Andenes intercepta e ataca o Whales Forever e causa danos consideráveis ao navio. Depois de uma angariação de fundos na Alemanha, o Whales Forever é vendido na Flórida, permitindo a reserva de fundos para a compra de um novo navio.

Março, 1994

Novo Navio, "Whales Forever" é Sabotado

A Sea Shepherd adquire um navio britânico e renomeia-o Whales Forever, e o mesmo é sabotado por dois ataques incendiários. O primeiro causa danos menores, enquanto o segundo provoca uma explosão e um incêndio na casa de máquinas do navio que leva mais de um mês para consertar.

Janeiro, 1994

Ocean Warrior Publicado

O livro de Paul Watson, Ocean Warrior, My Battle to End the Illegal Slaughter on the High Seas é publicado.

Janeiro, 1994

Afundando o Senet

Uma equipa da Sea Shepherd afunda o navio baleeiro norueguês ilegal, Senet, no sul da Noruega. Uma investigação revelou que o navio acabara de voltar do contrabando de um novo motor da Dinamarca, e o proprietário foi multado em conformidade. Não houve acusações contra a Sea Shepherd pela Noruega pelo naufrágio.

1993

Maio, 1993

A Controvérsia do Cleveland Armory

O Capitão Watson adquire um quebra-gelo aposentado da Guarda Costeira canadense e renomeia-o como Cleveland Amory. A sua primeira e única campanha é em Grand Banks, perto de Newfoundland, enfrentando a pesca ilegal por traineiras cubanas. A controvérsia política resulta na saída de dez arrastões cubanos de Banks com perdas relatadas de trinta e cinco milhões de dólares. A Royal Canadian Mounted Police embarca no Cleveland Amory e prende o capitão Watson fora do limite de 320 quilómetros, acusando-o de três acusações de dano criminoso, e apreende o Cleveland Amory em St. John's, Newfoundland. Para evitar os obstáculos burocráticos e a multa de 30 mil dólares envolvidos na liberação do Cleveland Amory, a Sea Shepherd vende o navio a um comprador privado com lucro. Todas as acusações criminais contra o Capitão Watson são retiradas no julgamento da Suprema Corte de Newfoundland de 1995, quando um júri aceita o argumento de que a Carta Mundial para a Natureza lhe concedeu autoridade para intervir.

Janeiro, 1993

Earthforce! Publicado

O livro de Paul Watson, Earthforce! An Earth Warrior's Guide to Strategy, é publicado.

Janeiro, 1993

Noruega Recusa Acusação

 

A Sea Shepherd desafia o governo da Noruega a processar a tripulação da Sea Shepherd responsável pelo afundamento do baleeiro norueguês Nybraena. A Noruega recusa-se a responder.

1992

Dezembro, 1992

Afundando Baleeiros Noruegueses Ilegais

Após meses de vigilância, o Capitão Watson lidera uma equipa à Noruega para procurar navios baleeiros noruegueses ilegais. O Dwight Worker projecta o afundamento do baleeiro norueguês Nybraena nas docas das Ilhas Lofoten em 26 de Dezembro.

Setembro, 1992

O Sea Shepherd II é aposentado

Após dez anos de serviço, o Sea Shepherd II tornou-se muito caro para manter e foi aposentado na Ilha de Vancouver. A Sea Shepherd adquire uma embarcação de fabricação japonesa e registada em Taiwan para ser equipada como isca para se infiltrar em frotas de redes de deriva.

Março, 1992

Edward Abbey torna-se Sirenian

O Edward Abbey é registado novamente como um navio de pesquisa canadense e recebe o nome de Sirenian antes de viajar para Clayoquot Sound na Ilha de Vancouver para um verão de protesto polémico contra o corte raso do vale Clayoquot.

Fevereiro, 1992

Expulsando caçadores ilegais na Costa Rica

O Sea Shepherd II e o Edward Abbey expulsam caçadores ilegais na Ilha Cocos, na costa da Costa Rica. Os navios então intervêm contra atuneiros cercadores que matam golfinhos no Pacífico Tropical Oriental, e cortam e confiscam as redes de uma frota japonesa de redes de deriva no meio do Oceano Pacífico Norte.

1991

Dezembro, 1991

Interceptando a frota Nina, Pinta, e Santa Maria

O Sea Shepherd II parte das Bahamas com uma tripulação que inclui quatorze membros da nação Gitk'san Wet'su'e'ten da Colúmbia Britânica. Para a viagem, o nome do navio é alterado para Aligat que significa Guerreiro, com o objectivo de interceptar a viagem de celebração do Quincentenário da frota de Cristóvão Colombo, o Nina, Pinta e Santa Maria. No caminho, a tripulação pára na Ilha de San Salvador para reivindicá-la para as Primeiras Nações. O Santa Maria é apreendido e detido até que o cônsul espanhol em Porto Rico assine uma carta de desculpas pelos quinhentos anos de injustiça aos povos indígenas das Américas.

Novembro, 1991

Aquisição do Edward Abbey

A Sea Shepherd adquire um antigo navio de patrulha da Guarda Costeira dos EUA e nomeia-o Edward Abbey em homenagem ao autor, amigo do Capitão Watson e membro do Conselho Consultivo da Sea Shepherd.

Julho, 1991

O Sea Shepherd II junta-se à Guarda Costeira de Trindade e Tobago

O Sea Shepherd II é recebido e nomeado auxiliar oficial da Guarda Costeira de Trindade e Tobago pelos seus esforços contra os palangreiros ilegais de Taiwan. Depois da Sea Shepherd ajudar na investigação e expor o suborno de funcionários do governo de Trindade pela indústria pesqueira de Taiwan, os políticos que aceitaram os subornos são presos.

Janeiro, 1991

Resgate de Golfinhos de um atuneiro na Guatemala

Na costa da Guatemala, o Sea Shepherd II descobre o atuneiro mexicano Tungui com as suas redes na água e golfinhos a tentar escapar. Apesar da escuridão da noite, o capitão Watson ordena aos mexicanos que libertem os golfinhos. Quando eles se recusam, ele abalroa e danifica o Tungui, e abre uma mangueira de alta pressão sobre o helicóptero a bordo. Os golfinhos são soltos. A Guatemala agradece oficialmente à Sea Shepherd pela intervenção.

1990

Agosto, 1990

Lutando contra redes de deriva no Pacífico Norte

A Sea Shepherd trabalha com um biólogo marinho e um físico para encontrar um método para afundar redes de deriva sem danos ecológicos. O Sea Shepherd II parte de Seattle para procurar frotas de redes de deriva no Pacífico Norte, abalroa duas embarcações de redes de deriva japonesas e afunda sessenta milhas de redes de deriva monofilamento, custando aos japoneses mais de dois milhões de dólares. Apesar da documentação em vídeo da Sea Shepherd, exibido mundialmente, a resposta oficial japonesa é a de que "nada aconteceu".

1989

Agosto, 1989

Protegendo golfinhos na América Central

O Sea Shepherd II intercepta atuneiros cercadores venezuelanos em Puntarenas, Costa Rica, com evidências de matança de golfinhos, e afasta vários atuneiros mexicanos de grupos de golfinhos, no Pacífico Tropical Oriental.

1988

Novembro, 1988

O Divine Wind é vendido para pagar a revisão completa do Sea Shepherd II

Março, 1988

Evidências de matança de golfinhos por embarcação dos EUA

Quando um agente da Sea Shepherd documenta a morte de golfinhos por um atuneiro dos Estados Unidos, as imagens são divulgadas ao público, paralelamente ao filme feito pelo Earth Island Institute, a bordo de um atuneiro panamenho. A filmagem escandaliza a indústria do atum e contribui para a proibição da matança de golfinhos por empresas de atum dos EUA.

Janeiro, 1988

Desafiando a Islândia a apresentar queixas

Para lidar com as acusações de crimes na Islândia, o Capitão Watson regressa à ilha com a activista Dra. Joanna Forwell e o Director da Sea Shepherd Suécia, Sten Borg, e exige que a Islândia apresente acusações contra a Sea Shepherd Conservation Society, e a ele mesmo, por afundar metade da sua frota baleeira. Quando a Islândia se recusa, a Sea Shepherd anuncia que quaisquer acusações de criminalidade contra a Sea Shepherd são injustificadas, pois eles não foram acusados, muito menos condenados, por nenhum crime na Islândia.

1987

Agosto, 1987

A Sea Shepherd adquire o Divine Wind

Com o Sea Shepherd II na Grã-Bretanha a precisar de reparos, em junho, a Sea Shepherd adquire um navio atuneiro japonês rebaptizando-o de Divine Wind, para campanhas anti-redes de deriva nas Ilhas Aleutas do Pacífico Norte. Na expedição em Amchitka e Attu, são documentadas "redes fantasmas"e removidos muitos quilómetros de material de redes de deriva.

1986

Novembro, 1986

Encerrando a caça à baleia na Islândia

Os activistas da Sea Shepherd agem contra as operações baleeiras ilegais na Islândia, afundando dois dos quatro navios baleeiros islandeses no porto de Reykjavik. Destroem também a estação de processamento de baleias em Hvalfjörður, encerrando as actividades baleeiras comerciais islandesas pelos próximos 16 anos.

Julho, 1986

Campanha anti-caça às baleias nas Ilhas Faroé

Depois de participar, em Junho, na reunião da Comissão Baleeira Internacional (IWC) em Malmo, Suécia, o Sea Shepherd II parte para as Ilhas Faroé dinamarquesas para documentar e obstruir a caça às baleias-piloto nas Ilhas Faroé. O Capitão Watson envia uma equipa de cinco tripulantes para se reunir com o governo, os quais são presos e mantidos, sem acusações. O Sea Shepherd II recusa-se a sair das águas faroenses até que a tripulação seja libertada. Os faroenses respondem atacando com tiros de espingarda e gás lacrimogéneo. O Capitão Watson defende o navio com canhões de água e canhões carregados com recheio de torta de chocolate e limão. Os atacantes das Ilhas Faroé são humilhados e o Sea Shepherd II escapa com a documentação das actividades baleeiras e um confronto dramático filmado e exibido no documentário premiado, Black Harvest, produzido pela BBC.

1985

Dezembro, 1985

Reino Unido proíbe viagem de socorro à Etiópia

Depois do Supremo Tribunal canadiano ter mantido a decisão do Tribunal de Apelação do Quebec ordenando o regresso do Sea Shepherd II, o navio navega para Londres para se preparar para uma viagem de socorro à Etiópia, pela Band Aid (o Capitão Watson e Bob Geldof haviam trabalhado juntos durante anos para o jornal alternativo, o Georgia Straight). No entanto, após a partida de Londres, o Sea Shepherd II é enviado para o porto de Brest, França, pela Junta Comercial Britânica, que mudou de ideias, declarando que o Sea Shepherd II não é um navio de carga registado e, portanto, não pode transportar mantimentos de socorro.

1984

Fevereiro, 1984

Enfrentando caçadores aéreos de lobos no Canadá

Sem um navio, o Capitão Watson e a sua tripulação lançam uma campanha terrestre de grande impacto, contra o tiro aéreo aos lobos no norte da Colúmbia Britânica. Na cidade hostil de Fort Nelson, o Capitão Watson dá uma entrevista e confronta quatrocentos caçadores numa discussão acalorada que chega às notícias nacionais. Capitão Watson e Robert Hunter publicam "Cry Wolf!" expondo a corrupção do governo por detrás dos programas de erradicação do lobo. A publicidade obriga à renúncia~do cargo do ministro do Meio Ambiente da Colúmbia Britânica, Anthony Brummett.

1983

Março, 1983

Sea Shepherd II confiscado no Canadá

O Sea Shepherd II bloqueia o porto de São João da Terra Nova, e impede que a frota canadiada caçadora de focas saia por duas semanas. Segue para o Golfo de São Lourenço e escolta os navios caçadores para longe do berçário das focas da groenlândia. As unidades da RCMP e da Guarda Costeira canadiana precipitam-se e abalroam e embarcam no Sea Shepherd II num ataque com gás lacrimogéneo, prendendo o Capitão Watson e dezanove tripulantes. O Sea Shepherd II é confiscado e o Capitão Watson é multado em 75.000$ e condenado a 15 meses de prisão por conspirar para violar a Lei de Proteção às Focas, e outros 6 meses por se ter aproximado meia milha náutica de uma caça às focas. O Capitão Watson é obrigado a não comunicar de forma alguma, com qualquer jornalista, em qualquer lugar do mundo, por um período de três anos, e banido das cinco províncias do Leste canadiano. O engenheiro Paul Pezwick é condenado a 7 meses de prisão e multado em 7.000$. Todos os outros membros da tripulação são multados em 3.000$ cada. No entanto, o Tribunal de Apelação do Quebec liberta os dois homens nove dias depois e em janeiro de 1984 decide a favor do Capitão Watson e da tripulação do Sea Shepherd II, retirando todas as acusações. O governo canadiano apela da decisão e mantém na sua posse o Sea Shepherd II.

Janeiro, 1983

Viagem Humanitária a Granada

O Sea Shepherd II atravessa o Canal do Panamá para entregar mantimentos de auxílio na ilha de Granada após um golpe militar e uma invasão liderada pelos Estados Unidos. Após testemunharem as condições deploráveis do zoo da capital, a tripulação da Sea Shepherd invade-o e liberta todos os macacos na vegetação da ilha. O Capitão Watson responde às críticas sobre a libertação dizendo que os primatas não foram levados para Granada pela Sea Shepherd e que a sua tripulação não ia ficar parada a ver os animais a sofrer abusos sem fazer o que fosse preciso para aliviar o seu sofrimento. “Para além disso”, disse ele, “estes primatas não vão decerto causar mais danos na ilha do que os já causados pelo primata Homo Sapiens.”

1982

Novembro, 1982

Santuário de Focas nas Ilhas Órcades

A tripulação da Sea Shepherd interrompe a matança de focas-cinzentas no arquipélago escocês Órcades, e cria o Fundo Ilhas Sea Shepherd para adquirir a ilha Little Green Holm, nas Órcades, e transformá-la num santuário permanente para as focas-cinzentas.

Setembro, 1982

Confronto com Baleeiros Soviéticos

O Capitão Jet Johnson (antigo piloto de caças da Força Aérea Canadiana) pilota um avião com Paul Watson e Carroll Vogel a bordo. Estes largam dezasseis grandes lâmpadas cheias de tinta vermelha – e uma mensagem em russo em protesto contra a matança ilegal de baleias pelos soviéticos – no convés de um navio espião soviético junto à costa do Estado de Washington. Paul Watson é o único a ser preso e acusado pela utilização perigosa de um avião apesar de não ter sido o seu piloto, mas as acusações são retiradas quando os russos falham em comparecer como testemunhas.

Setembro, 1982

Travessia a Nado Histórica em Vancouver

O Capitão Watson e o tripulante Tate Landis tornam-se as primeiras pessoas a percorrer a nado os 56 quilómetros do Estreito de Geórgia entre Naniamo na Ilha de Vancouver e a praia de Jericho em Vancouver, um acontecimento organizado para chamar a atenção para a caça à foca no Canadá.

Maio, 1982

Fim da Caça à Foca na Irlanda

Membros irlandeses da tripulação da Sea Shepherd acampam na Ilha Inishkea no Mar da Irlanda para interferir na matança de focas-cinzentas por pescadores irlandeses. No final da época o governo irlandês decide finalmente acabar com a caça à foca cinzenta no Mar da Irlanda.

Maio, 1982

Publicação do Livro do Capitão Watson "Sea Shepherd, A Minha Luta Pelas Baleias e Focas"

Março, 1982

Golfinhos Salvos na Ilha Iki

O Sea Shepherd II prepara uma campanha para acabar com o abate de golfinhos na Ilha Iki, no Japão. Para evitar confrontos, o governo japonês convida o Capitão Watson até à Ilha Iki para três dias de negociações com os pescadores locais, que por fim concordam em acabar com a prática.

1981

Julho, 1981

Campanha Pelas Baleias na Sibéria

O Sea Shepherd II parte para a Sibéria Soviética numa campanha para proteger as baleias-cinzentas. Mesmo sendo perseguidos pela Marinha Soviética, a tripulação consegue documentar as actividades baleeiras soviéticas ilegais na costa da Sibéria, e entrega as provas ao Congresso Americano.

Abril, 1981

A Sea Shepherd Conservation Society é registada oficialmente em Portland, no Oregon.

Março, 1981

Regresso à Caça à Foca no Canadá

Apesar duma ordem judicial de 1980 proibir o Capitão Watson de se aproximar da caça à foca no Canadá, ele lidera uma tripulação com três caiaques até ao Golfo de São Lourenço para marcar centenas de focas com uma tinta azul inócua. Depois de o Capitão Watson desafiar o Canadá a prendê-lo, a sua condenação de 1980 é anulada durante um recurso.

1980

Outubro, 1980

Compra do Sea Shepherd II

O Capitão Watson vende os direitos cinematográficos da história do Sea Shepherd e do Sierra à Warner Brothers e angaria dinheiro suficiente para adquirir outra traineira na Grã Bretanha, que se iria depois tornar o Sea Shepherd II.

Setembro, 1980

Fim da Actividade Baleeira no Atlântico

Em resposta à publicidade mundial sobre o naufrágio dos baleeiros piratas em Espanha e Portugal, a Marinha da África do Sul apreende o Susana e o Teresa, dos proprietários do Sierra e afunda-os, cessando assim todas as operações baleeiras ilegais no Atlântico.

Abril, 1980

A Sea Shepherd Persegue Mais Piratas

A Sea Shepherd é responsável pelo naufrágio de dois baleeiros piratas espanhóis, o Ibsa I e o Ibsa II, que estavam em violação das quotas baleeiras em Vigo, Espanha. Após a Sea Shepherd afixar cartazes por toda a marginal de Las Palmas nas Ilhas Canárias oferecendo uma recompensa de $25,000 pelo baleeiro ilegal Astrid, os donos do navio pirata deixam de poder confiar na sua própria tripulação e retiram a embarcação.

Fevereiro, 1980

Afundamento do Sierra

Depois da Sierra Trading Company ter gasto mais de um milhão de dólares para reparar o Sierra, o navio baleeiro é afundado no porto por membros da Sea Shepherd sem causar danos à sua tripulação, terminando assim de vez com a carreira do navio baleeiro ilegal mais cruel do mundo.

1979

Julho, 1979

Caça a Um Navio Baleeiro Pirata

Em Leixões, Portugal, a Sea Shepherd persegue um dos mais célebres baleeiros piratas do mundo, o Sierra. Depois de abalroá-lo e desactivá-lo, o capitão Watson entrega-se à Marinha portuguesa. A história chega às manchetes de todo o mundo e expõe as operações dos baleeiros piratas e as suas ligações japonesas e norueguesas. O capitão do porto determina que não haverá acusações contra a tripulação do Sea Shepherd, mas o navio fica apreendido até ser afundado pelo Capitão Watson e pelo Engenheiro-Chefe Peter Woof na véspera de Ano Novo no porto de Leixões, para evitar que fosse entregue aos baleeiros da Sierra Trading Company.

Março, 1979

A Primeira Campanha Marítima

Em Março, o Sea Shepherd torna-se o primeiro navio a desbravar o gelo com a intenção de proteger as focas da Costa Leste do Canadá. Antes do Capitão Watson e da sua tripulação serem presos, salvam mais de mil focas bebé ao borrifar o seu pêlo branco com um corante orgânico indelével que lhes retira o valor comercial.

1978

Novembro, 1978

A Sea Shepherd Adquire o Seu Primeiro Navio

Cleveland Amory do “Fund for Animals” e a “Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals” (RSPCA) reúnem fundos para adquirir a traineira britânica Westella, e rebaptizam-na de Sea Shepherd, a fim de ser utilizada na primeira campanha contra a caça à foca no Canadá.

Fevereiro, 1978

A Primeira Campanha

A primeira campanha Earthforce é lançada para proteger os elefantes dos caçadores furtivos na África Oriental (Quénia, Tanzânia, Somália, Uganda e Sudão).

1977

Junho, 1977

O Capitão Watson Funda a Sea Shepherd

Depois de sair da Greenpeace, de que foi um dos membros fundadores em 1971, Paul Watson estabelece a precursora da Sea Shepherd Conservation Society, chamada Earthforce Environmental Society, em Vancouver, Canadá.

A seguir
A nossa Frota
Ajuda o Oceano!

Precisamos do teu apoio